Dicas para seu negócio não cair na crise

A dica fundamental é o controle; muitos empresários com o “corre corre” de suas exaustivas cargas de trabalho, preferem fazer seus fluxos de caixa de cabeça, do que pegar um lápis e papel, escrever e fazer contas.

Com tecnologia, hoje existem diversos softwares para gestão de fluxo de caixa que são excelentes para controle de pequenos e médios negócios.

O planejamento é valido, tanto para os negócios que estão a todo o vapor e para aqueles que estão visualizando a crise.

Sempre ouço muitos empresários dizendo que o seu negócio e bom e rentável; então, quando eu pergunto qual o lucro líquido e a viabilidade do negócio e outros números, opa! não sabem. Isso é muito comum, não temos cultura financeira de planejar, de controlar, não aprendemos isso na escola.

A grande diferença quando se há controle, é medir o seu negócio, isso faz com que a decisão seja antecipada e evite riscos. É claro que quando abrimos um negócio nunca se pensa em fecha-lo, mas aí que entra uma importante questão, a viabilidade.

Utilizando de simples ferramentas de controle, como o fluxo de caixa, inicia-se um ponto muito forte em controlar suas contas, observando o que entra e o que sai, e se consequentemente terá saldo positivo no caixa ou não. Com esse pequeno controle fica fácil e simples, planejar sua semana, quinzena e o ideal é o mês. Essa ferramenta é tão eficaz para o seu início de planejamento que logo estará fazendo o planejamento anual.

Neste primeiro estágio, verão a necessidade de aumentar as vendas, reduzir as despesas e planejar mais, a viabilidade do negócio simplesmente começa a aparecer, desde que sua empresa, não necessite de caixa, já é um ótimo começo.

Bons negócios.

Marcelo Caixeta
marcelo@caisep.com.br

Novidades sobre alteração contratual – “baixa de empresas”

building-374442_640 (1)A Lei Complementar 147, gradativamente está promovendo efeitos para os empresários.

Assunto de post anterior – https://marcelocaixeta.wordpress.com/2014/08/09/super-simples-novas-atividades/

No inicio do mês de setembro de 2.014, houve alterações para registros de alterações contratuais e baixas perante as juntas comerciais.

De AGORA em diante não há necessidade de apresentar as Certidões Negativas, que no passado tinham caráter obrigatório.

Essa pratica é muito bem vinda para os empresários, contabilistas e advogados que militam na área, pois com esta condição, alem de desafogar as juntas comerciais de processo pendentes, agiliza diversos processos urgentes, que na maioria das vezes esbarram em outros órgãos que por diversos motivos não obtêm as famigeradas CNDs em tempo.

Abaixo segue instrução normativa na integra.

Marcelo Caixeta


INSTRUÇÃO NORMATIVA No 26, DE 10 DE SETEMBRO DE 2014

Altera os Manuais de Registro de Empresário Individual, Sociedade Limitada, Empresa Individual de Responsabilidade Limitada – EIRELI, Cooperativa e Sociedade Anônima aprovados pela Instrução Normativa nº 10, de 5 de dezembro de 2013.

O DIRETOR DO DEPARTAMENTO DE REGISTRO EMPRESARIAL E INTEGRAÇÃO – DREI, no uso das atribuições que lhe confere o art. 4º do Decreto nº 1.800, de 30 de janeiro de 1996, e o art. 8º, inciso VI, do Anexo I, do Decreto nº 8.001, de 10 de maio de 2013, e Considerando a inclusão do art. 7º-A na Lei nº 11.598, de 3 de dezembro de 2007, pela Lei Complementar nº 147, de 7 de agosto de 2014, que afastou a exigência de certidões de regularidade de obrigações tributárias, previdenciárias ou trabalhistas, principais ou acessórias, do empresário, da sociedade, dos sócios, dos administradores ou de empresas de que participem, para o registro dos atos constitutivos, de suas alterações e extinções (baixas); Considerando outras disposições contidas na Lei Complementar nº 147, de 7 de agosto de 2014, resolve:
Art. 1º Os manuais de registro de empresário individual, sociedade limitada, empresa individual de responsabilidade limitada – EIRELI, cooperativa e sociedade anônima, de observância obrigatória pelas Juntas Comerciais na prática de atos de registro nele regulados, aprovados pela Instrução Normativa nº 10, de 5 de dezembro de 2013, publicada no Diário Oficial da União nº 237, de 6 de dezembro de 2013, passam a vigorar conforme disponibilizados no sítio do Departamento de Registro Empresarial e Integração – DREI h t t p : / / d r e i . s m p e . g o v. b r.
Art. 2º Esta Instrução Normativa entra em vigor na data de sua publicação.
PAULO CÉSAR ZUMPANO